Você sabia que muitas pessoas são médiuns intuitivos e nem desconfiam disso? Isso acontece porque a mediunidade intuitiva é um tipo mediúnico muito sutil e difícil de diagnosticar.

Por isso, muitos médiuns intuitivos sofrem com os diversos sintomas da mediunidade intuitiva sem saber a causa do seu sofrimento.

Eles poderiam equilibrar sua mediunidade para viver com mais harmonia e comunhão espiritual se soubessem que são médiuns .

Então, se você desconfia que pode ser um médium intuitivo, continue lendo este artigo. Nele abordaremos a mediunidade intuitiva e explicaremos tudo sobre o assunto, confira!

O que é mediunidade intuitiva?

Mediunidade é uma faculdade humana que possibilita que uma pessoa atue como intermediária entre os Espíritos e os encarnados.

A mediunidade se manifesta de diversas formas. Para uns ela pode se manifestar por meio de visões de espíritos enquanto para outros pode se manifestar como vozes, odores e muito mais.

Porém, existem aqueles que tem uma mediunidade que se manifesta na forma de intuições. A este tipo mediúnico é dado o nome de Mediunidade Intuitiva.

Para o médium intuitivo as mensagens do plano espiritual são percebidas como uma espécie de intuição.

Allan Kardec, Codificador da Doutrina Espírita (Espiritismo), define o médium intuitivo em seu “Livro dos Médiuns” no capítulo em que aborda os médiuns escreventes:

A transmissão do pensamento também se dá por meio do Espírito do médium, ou, melhor, de sua alma, pois que por este nome designamos o Espírito encarnado.
O Espírito livre, neste caso, não atua sobre a mão, para fazê-la escrever; não a toma, não a guia. Atua sobre a alma, com a qual se identifica. A alma, sob esse impulso, dirige a mão e esta dirige o lápis.
Notemos aqui uma coisa importante: é que o Espírito livre não se substitui à alma, visto que não a pode deslocar. Domina-a, mau grado seu, e lhe imprime a sua vontade.
Em tal circunstância, o papel da alma não é o de inteira passividade; ela recebe o pensamento do Espírito livre e o transmite. Nessa situação, o médium tem consciência do que escreve, embora não exprima o seu próprio pensamento. É o que se chama médium intuitivo.
[…] O papel do médium mecânico é o de uma máquina; o médium intuitivo age como o faria um intérprete. Este, de fato, para transmitir o pensamento, precisa compreendê-lo, apropriar-se dele, de certo modo, para traduzi-lo fielmente e, no entanto, esse pensamento não é seu, apenas lhe atravessa o cérebro. Tal precisamente o papel do médium intuitivo.

Allan Kardec, o Livro dos Médiuns

Como podemos ver no trecho acima, o médium intuitivo é uma pessoa que recebe pensamento ou impressões intuitivas de um Espírito desencarnado em sua própria mente. Assim, após assimilar a intuição ele a trata como se fosse seu próprio pensamento e o transmite.

Quais os sintomas da mediunidade intuitiva?

A mediunidade intuitiva é muito sutil e isto dificulta bastante o seu diagnóstico. A confusão entre os pensamentos dos Espíritos desencarnados e o pensamento do médium é muito comum.

“Médiuns Intuitivos: São muito comuns, mas também muito sujeitos a erro, por não poderem, muitas vezes, discernir o que provém dos Espíritos do que deles próprios emana.”

Allan Kardec, O Livro dos Médiuns

Allan Kardec comenta sobre a distinção entre as intuições enviadas por Espíritos desencarnados e a própria alma do médium em sua obra intitulada “Livro dos Médiuns”:

[…] Mas, sendo assim, dir-se-á, nada prova seja um Espírito estranho quem escreve e não o do médium. Efetivamente, a distinção é às vezes difícil de fazer-se, porém, pode acontecer que isso pouca importância apresente. Todavia, é possível reconhecer-se o pensamento sugerido, por não ser nunca preconcebido; nasce à medida que a escrita vai sendo traçada e, amiúde, é contrário à idéia que antecipadamente se formara. Pode mesmo estar fora dos limites dos conhecimentos e capacidades do médium

No trecho acima já obtemos algumas pistas sobre os sintomas da mediunidade intuitiva. Como diz Kardec, o pensamento não é preconcebido.

Ou seja, o pensamento que vem do espírito desencarnado não foi previamente concebido na mente do médium, ele se forma conforme a escrita é realizada.

Além disso, o pensamento é muitas vezes contrário às ideias preconcebidas do médium e pode até mesmo estar além das suas capacidades de conhecimento.

Essa talvez seja a melhor forma de separar e identificar os próprios pensamento dos pensamentos dos espíritos desencarnados. No entanto, alguns outros sintomas podem surgir.

No entanto, a mediunidade intuitiva não se limita somente à esfera da escrita mediúnica ou psicografia. Ela pode ocorrer com todos os tipos de mediunidade.

Existe um tipo de mediunidade que se assemelha bastante à mediunidade intuitiva. Ela é chamada de mediunidade inspirada e tem íntima relação com a intuitiva.

Médiuns inspirados: aqueles a quem, quase sempre mau grado seu, os Espíritos sugerem idéias, quer relativas aos atos ordinários da vida, quer com relação aos grandes trabalhos da inteligência.

[…] MÉDIUNS INSPIRADOS
Todo aquele que, tanto no estado normal, como no de êxtase, recebe, pelo pensamento, comunicações estranhas às suas idéias preconcebidas, pode ser incluído na categoria dos médiuns inspirados. Estes, como se vê, formam uma variedade da mediunidade intuitiva, com a diferença de que a intervenção de uma força oculta é aí muito menos sensível, por isso que, ao inspirado, ainda é mais difícil distinguir o pensamento próprio do que lhe é sugerido.

Allan Kardec, O Livro dos Médiuns

Então, podemos dizer que a mediunidade intuitiva pode se manifestar em muitos momentos.

O médium intuitivo pode experimentar os seguintes sintomas:

Ter pensamentos intrusivos que atravessam sua mente rapidamente e que muitas vezes não condizem com suas crenças pessoais.

Se a origem do pensamento for um espírito perturbado, o conteúdo da mensagem pode ser negativo. Assim, a blasfêmia e pensamentos perturbadores podem surgir como sintoma da mediunidade intuitiva.

Por outro lado, se o médium estiver acompanhado e em comunicação intuitiva com um espírito elevado, a mensagem será inspiradora e instrutiva.

O médium intuitivo também pode ter muitas revelações que atravessam subitamente o seu campo mental. Ele pode até mesmo ter súbito conhecimento de algum evento que irá ocorrer (uma espécie de premonição).

Como desenvolver a mediunidade intuitiva?

Como a mediunidade intuitiva se dá no campo mental é necessário que o médium seja capaz de discernir entre seus próprios pensamentos e as impressões que chegam dos espíritos desencarnados.

Praticar meditação é a melhor forma de obter esta capacidade e desenvolver sua mediunidade intuitiva. O ato de meditar lhe colocará em relação íntima com sua própria mente e o tornará conhecedor do que ali ocorre.

Então, se algum pensamento exterior atravessar seu campo mental, você identificará rapidamente que aquilo é de origem espiritual externa. Assim, sua comunicação espiritual poderá ser mais eficaz e repleta de confiança.

Além disso, se você suspeita que é médium intuitivo, procure um centro espiritualista sério que trabalhe com a mediunidade. Lá você poderá desenvolver sua habilidade com segurança e tranquilidade.

Categorias: Mediunidade