Você já sentiu alguma emoção, dor ou impressão súbita que não sabe de onde veio? Estas percepções espirituais podem ser sintomas da mediunidade sensitiva e a origem dessas percepções pode ser algum espírito desencarnado.

Esta mediunidade, quando está em desequilíbrio, pode ser bastante desafiadora para os médiuns inexperientes, causando muito sofrimento e gerando diversos fenômenos desagradáveis.

Por isso, é preciso aprender um pouco mais sobre essa mediunidade a fim de se fortalecer e equilibrar sua mediunidade. Neste artigo falaremos tudo sobre o assunto, confira!

O que é mediunidade sensitiva?

Médium é todo aquele que pode sentir em maior ou menor grau a influência dos espíritos.

O médium sensitivo é aquele que percebe a influência dos espíritos de uma forma bastante vaga.

Ele pode sentir a dor de outro espírito na própria pele e até mesmo sentir as emoções que os desencarnados emanam.

O portador da mediunidade sensitiva pode sentir a presença dos espíritos fisicamente, emocionalmente e mentalmente.

É esta classe de médiuns que é capaz de sentir as energias de espíritos, pessoas, objetos e ambientes com grande intensidade.

Muitas pessoas chamam os médiuns sensitivos de empatas, esponjas espirituais e muito mais.

Estes nomes são uma tentativa de descrever a incrível capacidade que o sensitivo tem de atrair para si as energias espirituais que o cercam, sentindo tudo na pele.

Allan Kardec, em seu Livro dos Médiuns nos diz o seguinte a respeito dos sensitivos:

Médiuns sensitivos: pessoas suscetíveis de sentir a presença dos Espíritos, por uma impressão geral ou local, vaga ou material. A maioria dessas pessoas distingue os Espíritos bons dos maus, pela natureza da impressão. (Nº 164.)

Allan Kardec, O Livro dos Médiuns

O sensitivo é uma pessoa que tem um sistema nervoso que se excita facilmente com a influência dos seres e energias espirituais.

Daí se origina a grande quantidade de fenômenos que assolam a pessoa dotada de sensitividade.

Portanto, o sensitivo é uma pessoa muito impressionável para os fenômenos espirituais.

No entanto, não devemos confundir esta impressionabilidade espiritual com a fraqueza psicológica ou delicadeza dos nervos.

Kardec nos diz o seguinte a este respeito:

Todos os médiuns são necessariamente impressionáveis, sendo assim a impressionabilidade mais uma qualidade geral do que especial. É a faculdade rudimentar indispensável ao desenvolvimento de todas as outras. Difere da impressionabilidade puramente física e nervosa, com a qual preciso é não seja confundida, porquanto, pessoas há que não têm nervos delicados e que sentem mais ou menos o efeito da presença dos Espíritos, do mesmo modo que outras, muito irritáveis, absolutamente não os pressentem.

Allan Kardec, O Livro dos Médiuns

Quais os sintomas da mediunidade sensitiva?

A mediunidade sensitiva provoca uma ampla gama de fenômenos no médium.

Estes sintomas podem ser de intensidade variada e assustam os médiuns inexperientes.

Afinal, o sensitivo sente as dores do mundo na própria pele, agindo como uma esponja ou antena espiritual.

Apesar de variáveis, os seguintes sintomas da mediunidade sensitiva são bastante comuns:

  • Náuseas, vômitos e tontura
  • Sentir a energia de lugares, pessoas e objetos
  • Saber quando uma pessoa está mentindo
  • Se sentir mal em locais muito cheios (energia carregada)
  • Passar mal em locais religiosos como igrejas e centros (grande carga energética)
  • Calafrios e arrepios inexplicáveis pelo corpo
  • Sentir ondas de calor e frio pelo corpo
  • Sentir que está sendo tocada sutilmente
  • Sensação de teias de aranha ou brisas suaves passando pelo corpo
  • Dores repentinas e inexplicáveis
  • Aperto no peito e taquicardia
  • Nó na garganta
  • Sensação da pele estar queimando
  • Emoções súbitas (vontade de chorar do nada)
  • Sensação de estar sendo asfixiado
  • Dores nas costas e peso em partes do corpo

Os sintomas da mediunidade sensitiva são inúmeros porque variam conforme a qualidade das energias espirituais captadas. O sensitivo pode sentir a presença de espíritos e até de pessoas encarnadas.

Se um espírito que morreu queimado se aproxima do sensitivo ele pode sentir que seu corpo está queimando ou que está com falta de ar por inalação de fumaça.

Se um espírito viciado em cigarro se aproxima do portador da mediunidade sensitiva ele pode sentir uma vontade indescritível de fumar.

Como podemos ver, as manifestações deste tipo de mediunidade são inúmeras.

Sou médium sensitivo, como posso me proteger?

Como o médium sensitivo sente tudo em grande intensidade é preciso que ele eleve sua frequência vibratória.

Ou seja, é preciso que ele se sintonize com o que há de mais elevado no plano espiritual, evitando qualquer coisa que o ligue com os espíritos obsessores, densos e desequilibrados.

Por isso, o portador da mediunidade sensitiva deve promover uma reforma íntima, corrigindo suas falhas e trabalhando para se tornar uma pessoa melhor a cada nova oportunidade.

Além disso, esta classe de médiuns deve cuidar dos seus pensamentos, palavras e ações, evitando nutrir padrões energéticos negativos, pessimistas ou violentos.

Assim, eles se protegem se mantendo longe da sintonia com os espíritos obsessores e demais seres perturbados que podem ser fonte de grande sofrimento.

Como desenvolver a mediunidade sensitiva?

O correto desenvolvimento da mediunidade sensitiva pode ser feito através de um esforço para prestar cada vez mais atenção em suas próprias percepções espirituais.

Deve-se manter consciente do que ocorre em seu corpo, mente e emoções, anotando toda e qualquer percepção que não condiz com o contexto e com sua realidade pessoal.

A prática da meditação pode ajudar neste tipo de desenvolvimento. Além disso, o médium sensitivo pode procurar um centro espiritual sério que possa lhe apoiar em seu desenvolvimento mediúnico.

Assim, a mediunidade sensitiva será desenvolvida com segurança, tranquilidade e equilíbrio. Desta forma o médium deixará de sofrer com os sintomas da mediunidade desequilibrada.

Categorias: Mediunidade